quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Produtores Vitivinícolas do Algarve - Quinta do Francês

Nascido em França e descendente de uma família italiana com tradições vinícolas, Patrick formou-se médico de Anatomia Patológica, em França. Mais tarde com 33 anos decidiu, com a sua esposa portuguesa, estabelecer-se em Portugal e aqui criar a sua família, tendo encontrado uma propriedade no vale da ribeira de Odelouca o local sonhado para erguer o seu projeto, que batizou de Quinta do Francês e ao qual se entregou de corpo e alma até transformar um solo de xisto ácido em nove hectares de vinhedo, ideal para as variedades Trincadeira, Aragonês, Cabernet Sauvignon e Syrah com condições ideais para produzir excelentes vinhos. 


No início a propriedade era apenas uma encosta com vegetação selvagem, mas após um ano e meio de preparação dos solos, drenagens e correção de acidez, a vinha foi implantada em 2002, e ficou totalmente completa em 2006. Patrick sabia desde logo que o Algarve não estava no "Mapa" dos "Grandes Vinhos", mas esse foi precisamente um dos motivos que o desafiou, e que deseja tornar real. Com a sua esposa Fátima e as suas filhas Yoan e Carla, após as primeiras produções do Quinta do Francês Odelouca River Valley, já com medalhas nacionais e internacionais, o esforço começa a dar os seus resultados e prova disso são as diversas menções e artigos na imprensa especializada nacional e internacional, que começa agora a "olhar" com atenção para os vinhos produzidos na Quinta do Francês. 


Os vinhos estão distribuídos em todo o Portugal e já estão exportados para França, Bélgica, Suíça, Alemanha e Reino Unido. Também podem ser adquiridos na Loja da Adega.


Adega Quinta do Francês - Sitio da Dobra cx p 862 h Odelouca 
8300-037 Silves

T. (+351) 282 106 303GPS. Lat.: 37º 13' 02''º - Long.: -8º 30' 32''º



Acolhimento

• Visita e prova de vinhos sujeita a marcação
• Visita à vinha e adega: 30 minutos
• Prova de vinhos: 30 minutos
• Acolhimento linguístico: Português / Inglês
• Alojamento: Não

VRSA oferece livros escolares e investe 1,5 milhões no ano letivo 2015-2016

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António está a atribuir, de forma gratuita, livros escolares a todos os alunos do primeiro ciclo residentes no município ou que frequentem as escolas do concelho no ano letivo 2015-2016.


A par dos manuais, a autarquia vai investir 150 euros na compra de material didático para cada uma das 51 salas de aula do pré-escolar e primeiro ciclo.

De acordo com Conceição Cabrita vereadora com o pelouro da educação, «a aquisição de livros e material irá beneficiar perto de 850 alunos e meia centena de salas de aula, ajudando as famílias a superar as dificuldades financeiras sentidas no início do ano escolar».

«A estes valores, junta-se a manutenção de todos os apoios em vigor, o que totaliza um investimento global de 1,5 milhões no setor da educação neste novo ano letivo», prossegue.

De forma pioneira, VRSA continuará a ser o único município do Algarve a oferecer, de forma totalmente gratuita, a componente de apoio à família, nomeadamente o prolongamento de horário, para os alunos do pré-escolar nos períodos da manhã, almoço e final de tarde.

Um ano mais, VRSA assegura a cobertura total de vagas na rede do pré-escolar, pondo fim às listas de espera nas salas dos 4 e 5 anos.

Também a pensar na qualidade do ensino, será igualmente oferecido, pela autarquia, o transporte para uma visita de estudo a todas as turmas do primeiro ciclo e pré-escolar.

Do mesmo modo, serão disponibilizadas, sem custos, atividades de enriquecimento curricular como inglês, música, atividade física e desportiva, expressão plástica e ciências da natureza.

Ao nível da requalificação, procedeu-se à climatização de todas as salas de aula da Escola Básica 1 de Monte Gordo e foram efetuadas obras de manutenção interior e exterior em todo o parque escolar do concelho.

Relativamente aos apoios sociais no primeiro ciclo, a Câmara Municipal prevê auxiliar 285 alunos, no caso do escalão A, e cerca de 150 alunos, no caso do escalão B.

Os alunos do 1º escalão terão direito a 20 euros para material escolar, enquanto os alunos do 2º escalão beneficiam de 10 euros em material escolar.

Quanto às refeições escolares, será paga a totalidade do seu valor aos alunos do 1º ciclo e do ensino pré-escolar do 1º escalão e subsidiados em 50% os alunos destes níveis de ensino inseridos no 2º escalão.

No que diz respeito ao transporte escolar, será gratuito até ao 9º ano. Para os alunos do ensino secundário do 1º escalão será também disponibilizado a custo zero, enquanto no 2º escalão é comparticipado pela autarquia em 75%. Os restantes alunos têm uma comparticipação de 50%.


Espaços internet em todas as freguesias

Ao serviço da comunidade escolar estarão igualmente os três «Espaços Internet» concelhios (Vila Real de Santo António, Cacela e Monte Gordo), bem como as bibliotecas escolares, que se encontram a funcionar em articulação com a Biblioteca Municipal Vicente Campinas.


Acompanhamento psicológico e vocacional gratuito


A estas valências, junta-se o trabalho de proximidade das equipas de psicólogos da Câmara Municipal de VRSA (NEIP) que, durante todo o ano letivo, de forma totalmente gratuita, trabalham em articulação com alunos, professores e encarregados de educação.



Fonte: http://www.algarvenoticias.com/

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Terras do nosso Algarve - Sta. Catarina da Fonte do Bispo

Estamos em pleno Barrocal, um Algarve de transição que une o mar e a serra, onde cresce espontaneamente a palmeira anã que, durante milénios, foi de tanta utilidade para produzir desde a humilde vassoura às práticas alcofas. Agora são as serranias que esperam o viajante. São mais belas e genuínas quando percorridas em libertadores passeios a pé ou usando as estradas secundárias que unem povoados de uma dezena de casas com nomes tão sugestivos como Bem Parece, Alcaria do Cume ou Morenos. Santa Catarina é uma aldeia típica do Barrocal algavio, orgulhosa da sua igreja de paredes caiadas e do saber centenário de trabalhar o barro.



Rodeada por pomares onde vicejam amendoeiras e laranjeiras, é uma típica povoação da zona rural intermédia do Algarve - o Barrocal - de solos calcários.


Localização

Santa Catarina da Fonte do Bispo confina a Oeste com São Brás de Alportel, a Norte com Cachopo, a leste com Tavira e a sul com Olhão. O acesso faz-se pela EN 270 que de Loulé, vai para São Brás de Alportel e Tavira.


Actividades Principais

Esta zona é a mais importante do sul de Portugal no que respeita à produção de telhas, ladri-lhos e tijolos. A origem das oficinas de cerâmica na freguesia perde-se no tempo. Actualmente, há unidades na aldeia, nos sítios de Fonte do Bispo, Julião, Espartosa, Marco e Montes e Lagares Bengado. Nas oficinas, os artesãos, agora organizados na Associação de Telheiros Artesanais, asseguram a continuidade desta indústria multissecular, que produz os elementos construtivos que constituem a imagem de marca da arquitectura algarvia (mediterrânica): a telha mourisca, os ladrilhos de tijoleira, os azulejos e o tijolo burro. Não deixe de visitar uma destas oficinas (com marcação prévia), para observar ao vivo as tecnologias tradicionais utilizadas. 


História 

A origem da freguesia está ligada à edificação da Igreja Matriz em meados do século XVI. Será também por essa razão que o nome da freguesia está relacionado com o domínio religioso. Embora o topônimo “Fonte do Bispo” possua variadas versões, sabe-se que está relacionado com a presença de um Bispo nestas terras, o qual mandou construir uma fonte, que segundo o Dicionário Geográfico do Padre Cardoso, não possuía uma água com as qualidades especias, como pensavam, na altura, os residentes da freguesia. 

Por sua vez o nome de “Stª Catarina”, dizem ter sido colocado em homenagem a Santa Catarina Martys, que veio a tornar-se padroeira da vila. 

Segundo Silva Lopes, na década de 1830, “alfarrobeiras e oliveiras são as árvores que formam as principais produções. Tem algumas hortas regadas com água de poço, que produzem mui saborosos frutos e alguma laranja, excelentes vinhas de que se faz bom vinho e muitas azinheiras que se vão reduzindo a carvão, aproveitando o terreno em sementeira de cereais e legumes. Muitos almocreves aqui estabelecidos andam no caminho de Lisboa conduzindo miolo de amêndoa, azeite e caça, principalmente perdizes (...). As mulheres fabricam panos grosseiros de linho e estopa para seu uso e para vender. Aqui se junta muita cera (...). Tem três lagares de azeite”. 


Património Cultural 

A Igreja Matriz data de meados do século XVI. É um bonito templo em estilo renascentista, com um portal decorado. O interior tem três naves, com colunas de capitéis jónicos. A capela-mor tem abóbada artesiana e, na parte lateral, uma porta manuelina. Entre a imaginária, destaca-se a Nossa Sr.ª das Dores do séc. XVI. Tábua representando a Adoração dos Pastores.



Património Natural

Muitas das encostas nas cercanias de Santa Catarina são bastante íngremes e tornam impossível o seu cultivo. Nestas a cobertura vegetal é constituída sobretudo por carrasqueiros e lentiscos, com uma pincelada de cor dada, no inicio de cada ano, pela esteva, o sargaço e a roselha grande. Na Primavera poder-se-ão encontrar a campainha-do-monte, o lírio, o lírio-roxo, o Gladiolus bysantinus, o jacinto, a Tulipa australis, a Scilla peruviana, de grandes flores, a Scilla monophilos e a campainha que encontaram os nutrientes necessários entre as rochas.

Durante o dia podem ver-se mochos-galegos nos fios de telefone ou empoleirados nas árvores. Este pequeno mocho caça principalmente de madrugada e após o pôr-do-sol. 

Já foi encontrada perto de Santa Catarina a maior mariposa da Europa, a Saturnia pyri, cuja envergadura pode atingir os 7 cm. 


Tradições 

Sobre a padroeira da freguesia, conta-se uma lenda, na qual a imagem de Sta. Catarina terá aparecido numa rocha da Fonte do Bispo, sendo depois transportada de volta para o interior da capela na aldeia, tornando, mais tarde a aparecer novamente na rocha. O facto originou uma disputa entre os locais, havendo quem defendesse que a imagem não deveria regressar à capela. Como consequência dessa disputa a Santa terá dito que todas as crianças nascidas nesta zona, de nome Catarina, não sobreviveriam. 

Mais tarde a população celebrou um acordo, no sentido da imagem ficar na capela da aldeia, tornando-se assim, a padroeira de toda a freguesia.


Produtos Locais

As actividades tradicionais ainda estão bem presentes na vida local, sendo possível a visita de grupos com marcação prévia à Cooperativa Agrícola de Santa Catarina, para observar o lagar de azeite ou a destilação do medronho. Além da importância do fabrico das aguardentes de medronho, bagaço, figo, alfarroba e dos licores de tangerina e folha de figueira, pode encontrar mais destilarias, nos sítios de Várzea do Vinagre, Bem Parece, Porto Carvalhoso, Alcaria do Cume e Morenos), mantém-se a produção de azeite e a confecção de doces regionais e figos cheios na aldeia e de mel na Várzea do Vinagre, Bemparece e Corte Vidreiros

De entre as actividades artesanais com matérias-primas locais, destaca-se a cestaria de cana na aldeia do Marco. Há também artesãos de couro e peles em Eiras Altas e Cerro de Leiria, trabalhos de empreita com palma e malhas de lã e algodão nas Hortas.


sábado, 12 de setembro de 2015

Gastronomia e doçaria do Nosso Algarve - Bolos de Maçapão ou Doce Fino

Ingredientes:

  • 500g açúcar
  • 500g amêndoas sem casca
  • 1 clara de ovo




Preparação:

Descasque, seque e moa as amêndoas. Misture com o açúcar até formar um preparado fino e uniforme.

Coloque a clara de ovo num recipiente juntamente com a mistura de amêndoas e açúcar, e misture suavemente com as mãos até formar uma pasta uniforme.
Logo que a pasta esteja suficientemente consistente para moldar, poderá então criar as formas que pretende.
De seguida, poderá pintar, com um pincel, essas formas com corantes alimentares.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Lendas Algarvias - Lenda do Almocreve de Estói

O almocreve José Coimbra, conhecido também por Ti Zé da Serra, percorria habitualmente, com o seu burrinho, os caminhos do Algarve. 


Um dia ao passar junto das ruínas de Milreu, perto de Estói, encontrou uma bela moura encantada vestida com um manto de princesa que lhe sorriu. 


Fascinado, seguiu a moura até que ela chegou a um sítio onde bateu com o pé no chão três vezes e um alçapão se abriu. Desceram ambos por uma escadaria de mármore até uma sala enorme revestida a ouro onde a moura o deixou só por um instante antes de surgir acompanhada por um leão e uma serpente, seus irmãos encantados. 

A bela moura prometeu-lhe o palácio e todo o seu ouro se ele quebrasse o encanto: teria que ser três vezes engolido e vomitado pelo leão e três vezes abraçado pela serpente. O corpo do almocreve ficaria em chaga e finalmente a moura o beijaria na fronte para lhe retirar os santos óleos do baptismo. O almocreve pediu-lhe para pensar e a moura deixou-o partir com duas barras de ouro. José Coimbra voltou para casa e tentou esquecer o episódio, mas passado pouco tempo começou a empobrecer, ficando na mais absoluta miséria. Decidiu então vender as duas barras de ouro que tinha escondido, mas quando as olhou logo ficou cego. Como última esperança, resolveu consultar um especialista de olhos em Faro. 

Ao passar por Estói, apareceu-lhe a moura que o acusou de ter faltado à promessa de lhe dar uma resposta. A moura só lhe tinha poupado a vida porque ele nunca tinha revelado o segredo daquele encontro. O almocreve chorou sinceras lágrimas de arrependimento, comovendo a moura que decidiu perdoar-lhe e devolver-lhe a visão. Conta-se que o almocreve nunca mais voltou a passar por Estói, onde ainda hoje uma moura e os seus irmãos esperam por quem os queira desencantar.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Saúde e Bem-Estar no nosso Algarve - Quiromassagem

A Quiromassagem é uma técnica de massagem muito aperfeiçoada que pode ajudar a melhorar a sua linha e a controlar o stress, entre outras algias, além de contribuir para a sua saúde e bem-estar geral. 


Para mais informações sobre Quiromassagem no Algarve, inscreva-se no grupo do facebook Saúde e Bem-Estar no nosso Algarve e contate diretamente com alguns dos massagistas que se encontram inscritos nesse grupo.

Na década de quarenta, o Dr. Vicente Lino Ferrándiz Garcia estudou, na Suiça, uma inovadora técnica de massagem e introduziu-a em Espanha. Esta técnica foi denominada “quiromassagem”, do grego keiros, que significa “mão”, devido ao facto de as manipulações, numerosas e aperfeiçoadas, não serem realizadas exercendo força com o corpo do massagista, mas sim concentrando-se tudo nas suas mãos. Hoje em dia, os benefícios desta técnica são especialmente valorizados e necessários numa altura em que o stress, o sedentarismo e os desequilíbrios psico-físicos afectam grande parte da população.

A quiromassagem não é nem mais nem menos do que uma massagem manual na qual a mão adquire um grau muito elevado de destreza, convertendo-se num elemento insubstituível. Só a mão humana é capaz de perceber exactamente a pressão que exerce, adaptá-la à superfície que está a tratar, e modificá-la em função da percepção obtida. “Neste sentido” – afirma David Vilches, chefe de estudos na escola de quiromassagem MDF de Barcelona, dirigida pelos filhos de Vicente Lino Ferrándiz – “nenhuma máquina ou aparelho supera a mão. Nos últimos anos, têm aparecido uma série de aparelhos que podem servir como coadjuvantes à massagem. Dizemos coadjuvantes porque têm aplicações muito concretas, limitadas a algum tipo de massagem, e não podem, por si só, constituir a base de uma massagem bem realizada”.

A quiromassagem não deve ser considerada uma medicina alternativa, nem uma moda oriental, como poderia pensar-se devido à proliferação destas tendências nos últimos anos, mas sim uma técnica com indicações precisas e uma larga história que garante não se tratar apenas de mais uma moda. A quiromassagem, excepto quando há contra-indicações especificas, não é incompatível com nenhum tratamento da medicina moderna, sendo uma prática higiénica que favorece a boa forma física e o bem-estar individual.


O desejo de nos mantermos em forma opõe-se, habitualmente, à falta de tempo para fazer exercício. A massagem não substitui o exercício, mas é um complemento ideal do mesmo. Nos casos em que a prática de exercício não é possível, seja por que razão for, a massagem é uma alternativa de grande valor, graças, em parte, à sua capacidade de mobilização de zonas que normalmente permanecem inactivas.

Desportistas

O interesse crescente pela prática de exercício está associado à necessidade de receber uma massagem antes ou depois de o praticar. A massagem desportiva é um complemento ideal para qualquer tipo de desporto. A quiromassagem, no desporto e em qualquer tipo de exercício físico, tem efeitos diversos e importantes: o preparativo para a acção, fazendo com que o músculo pré-aqueça devido à actividade circulatória que a massagem provoca; o relaxante e tónico, quando ao finalizar a acção, ajuda no relaxamento muscular e na recuperação.

Terceira Idade

A quiromassagem aplicada ao campo da geriatria apresenta-se como um tratamento eficaz para as dores reumáticas, assim como para outras doenças características desta faixa etária, cada vez mais numerosa devido à tendência para o envelhecimento da população mundial. A quiromassagem contribui assim para aumentar o bem-estar geral e a qualidade de vida das pessoas mais velhas.

Obesidade e Celulite

O sedentarismo e as profissões que possibilitam pouca actividade física originam com frequência a obesidade, a celulite, a pele frouxa, etc. Nestes casos, a quiromassagem com fins estéticos tem um objectivo concreto e aplicações diversas, segundo o problema que se trate. Em termos gerais, a quiromassagem melhora a circulação da pele e o tónus muscular, e contribui para a redução do panículo adiposo.

Stress, insónia, torcicolos...

Pelas suas propriedades relaxantes e estabilizadoras do sistema nervoso, esta técnica de massagem é um excelente tratamento para o stress, assim como para a insónia por ele provocada. Depois de uma sessão de quiromassagem o corpo fica relaxado, sem tensões, e mais predisposto a desfrutar de um sono profundo e reparador. Em casos mais específicos, como o torcicolo ou tensões crónicas em determinadas zonas do corpo, a quiromassagem actua diminuindo a contractura dos tecidos e aliviando as dores. Outros benefícios:

- Equilibra o sistema nervoso central (tem um efeito sedativo, diminuindo o cansaço físico e mental).

- Reduz o stress e a tensão nervosa.

- Estimula e reforça os músculos.

- Melhora a circulação sanguínea e a libertação das células mortas e produtos excretados.

- Favorece a oxigenação dos tecidos.

- Melhora a qualidade do sono.

- Pode aliviar lombalgias, ciáticas, dores reumáticas, etc, assim como os torcicolos e a tensão crónica do pescoço e dos ombros.

Uma técnica de massagem muito aperfeiçoada que pode ajudar a melhorar a sua linha e a controlar o stress, entre outras algias, além de contribuir para a sua saúde e bem-estar geral.

domingo, 6 de setembro de 2015

Gastronomia Algarvia - Bifes de Atum à Algarvia

Ingredientes:
- bifes de atum fresco
- sal e pimenta
- alho
- limão
- azeite
- cebola
- tomate pelado
- pimento verde
- vinho branco
- salsa



Preparação:

Tempere os bifes de atum com sal, pimenta, alho cortados e bastante sumo de limão. Deixe ficar na marinada durante 1 hora.
Prepare um refogado leve com o azeite e a cebola cortada em meias luas. Quando a cebola estiver translucida, coloque o tomate pelado e picado e o pimento cortado em tirinhas. Tempere e deixe cozinhar em lume brando.
Regue com o vinho e, quando levantar fervura, adicione os bifes de atum e a marinada. Cubra-os com o molho e cozinhe agitando várias vezes o recipiente para evitar que se pegue.
Já fora do lume polvilhe com salsa picada.
Sirva bem quente com batatinhas cozidas.

Algarve eleito melhor Destino de Praia da Europa nos “Óscares Mundiais do Turismo”

O Algarve voltou a ser considerado como o melhor Destino de Praia da Europa, na cerimónia de entrega dos World Travel Awards, a distinção vulgarmente conhecida por “óscares do turismo”, que decorreu este sábado, 5 de Setembro, na Sardenha.



Oito outros prémios foram também atribuídos a hotéis e resorts algarvios, nas categorias de melhores da Europa, do Mediterrâneo e de Portugal.

Assim, na categoria Europa, foram distinguidos o Hotel Quinta do Lago (Resort de praia), que também foi considerado o melhor hotel no Mediterrâneo, Vila Joya (Boutique Hotel), Conrad Algarve (Resort de luxo com spa) e Monte Santo Resort (Resort romântico).

Na categoria Portugal, houve distinções para o Sheraton Algarve at Pine Cliffs Resort ( Resort para famílias), Hotel Vila Vita Parc (Hotel ecológico) e ainda para o Dunas Douradas Beach Club (Resort com villas).

Portugal concorreu com 77 nomeações e, na hora dos prémios, superou países como Espanha ou Itália.

Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, na sua página de Facebook, comentou que estes prémios são «um orgulho para a Região e para os Algarvios».

«Os meus agradecimentos a todos os que contribuíram para estes resultados que mais uma vez colocam o Algarve no topo do Turismo Nacional e Internacional», acrescenta.

Prémios ganhos na categoria “Europa”
Companhia aérea a voar para África – TAP
Companhia aérea a voar para a América do Sul – TAP
Destino de praia — Algarve
Resort de praia – Hotel Quinta do Lago
Boutique Hotel – Vila Joya
Boutique Resort – Choupana Hills Resort & Spa
Hotel para negócios – Myriad by SANA Hotels
Design Hotel – The Vine Hotel
Hotel ecológico – Corinthia Hotel Lisbon
Revista a bordo – Up Magazine (TAP)
Hotel icónico (landmark) – Bairro Alto Hotel
Resort de luxo com spa – Conrad Algarve
Entidade de turismo — Turismo de Portugal
Resort romântico – Monte Santo Resort

Prémios ganhos na categoria “Mediterrâneo”
Boutique Hotel – Quinta da Casa Branca
Hotel – Quinta do Lago

Prémios ganhos na categoria “Portugal”
Boutique Hotel – The Yeatman
Hotel para negócios – Pestana Palace
Hotel para conferências – Corinthia Hotel Lisbon
Design Hotel – Altis Belém Hotel & Spa
Resort para famílias – Sheraton Algarve at Pine Cliffs Resort
Hotel ecológico – Hotel Vila Vita Parc
Hotel – Bairro Alto Hotel
Hotel com residências – Troia Design Hotel
Suite presidencial em hotel – Sheraton Porto Hotel & Spa
Resort – Pestana Porto Santo All Inclusive & Spa Beach Resort
Apartamento com serviço – Altis Suites
Resort com spa – Choupana Hills Resort & Spa
Resort com villas – Dunas Douradas Beach Club


sábado, 25 de julho de 2015

Em Agosto a sardinha reina em Portimão

Entre 12 e 16 de Agosto, Portimão celebra a Festa da Sardinha, inundando a cidade de música alegria e cheiro a sardinha assada.


Durante esse período, entre a zona ribeirinha que liga o Museu de Portimão à zona "Entre Pontes", reinará nessa zona de Portimão o artesanato, a doçaria, a magia, música que vai do folclore à música ligeira portuguesa sempre com o cheiro e a presença da sardinha assada.

Acabada de pescar e colocada nas brasas previamente preparadas pelos especialistas dos mais tradicionais restaurantes de Portimão, a sardinha assada será sempre a rainha da festa, acompanhada pelo melhor pão caseiro e pela típica salada à algarvia.

Este ano, o prato "festival" volta a marcar presença. Composto por uma fatia de pão, quatro sardinhas, batata cozida e salada à algarvia, ao longo dos cinco dias do evento com um preço especial nos restaurantes aderentes.

Quem gosta de sardinha no pão e consegue que ela não caia no chão, encontrará pontos de venda junto à Antiga Lota, enchendo a zona ribeirinha de Portimão com o tradicional e característico aroma da sardinha assada. Serão dois pontos de venda assegurados por duas colectividades locais: GEJUPCE e Boa Esperança.

Para acompanhar a sardinha nada como uma boa música. O palco principal, localizado junto à Antiga Lota, a partir das 22:00 apresentará a 12 de Agosto, Tony Carreira, um concerto no âmbito da Festa Continente. No dia 13, Volume2dois. Tiago Bettencourt canta dia 14, Diogo Piçarra a 15 e a festa termina a 16 com António Zambujo.


Mas no Coreto também haverá animação em todos os dias, entre as 19:30 e as 21:30, a cargo da Junta de Freguesia de Portimão.

Assim a 12 Agosto estará o Fado de Tó Correia, a 13 de Agosto a Música popular dos "3 For Tea" , a 14 de Agosto, será a vez de Plínio e os Esquecidos, com Música dos anos 60, 70, 80, 90, a 15 de Agosto entram os Fonte Nova, com Música popular e a 16 de Agosto, os "Projectus Seven" que nos lembram a música dos anos 70.

Para além de todas estas propostas musicais, também haverá a participação diária de ranchos folclóricos e acordeonistas, que animarão o eixo dos restaurantes aderentes.

A área exposicional de artes e sabores regionais ao ar livre entre o Jardim Bívar e a Antiga Lota, na qual é possível adquirir artesanato, bijuteria, aguardente de medronho, doçaria, petiscos e muitos outros produtos.

Na Rua Dom Carlos I, estará patente o projecto "Cardume", uma iniciativa da Galeria XXI que apostou na componente de animação baseada na tradição, centrando-se na cidade e suas raízes piscatórias, e, por inúmeras fábricas conserveiras em que a sardinha teve sempre o seu papel de rainha.
A convite desta galeria, famílias, pessoas particulares, representantes de empresas e artistas estão a pintar sardinhas nas paredes de uma antiga fábrica que já pertenceu à indústria conserveira.

De referir que ao longo da Zona Ribeirinha de Portimão existem vários polos de atracção para miúdos e graúdos durante estas cinco noites, dos divertimentos infantis à Feira do Livro, passando pela magia com o espectáculo "Fora do Baralho", de Mário Daniel no TEMPO-Teatro Municipal, complementados com as propostas culturais da Casa Manuel Teixeira Gomes e do Museu de Portimão.

O Festival da Sardinha é uma organização da Câmara Municipal de Portimão, que conta com o patrocínio do grupo NoSoloágua; Algareventos; Delta Cafés; Unicer/Super Bock; Dona Barca; Pastelaria Arade; Socialgar Seguros; a que se associam como parceiros a ATP – Associação Turismo de Portimão; o Turismo do Algarve, a Junta de Freguesia de Portimão; APS – Administração do Porto Sines; EMARP e a Associação de Bombeiros Voluntários de Portimão e tem como rádio oficial, Alvor FM.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Audi escolhe Algarve para apresentação internacional do novo R8

O superdesportivo da marca alemã irá circular nas estradas algarvias entre os dias 8 e 25 de Julho.


A Audi escolheu Portugal para realizar apresentação dinâmica à imprensa internacional da nova geração do superdesportivo Audi R8. Entre os dias 8 e 25 de Julho são esperados 350 jornalistas de todo o mundo para conduzir o novo Audi R8 no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão. 

A segunda geração do Audi R8 está equipada com um motor V10 de 5.2 litros disponível com dois níveis de potência - 540 cavalos e 610 cavalos - denominados R8 V10 e R8 V10 Plus, respectivamente. A transmissão automática S tronic e o novo sistema de tracção integral ‘quattro' estão em destaque num superdesportivo que irá contar também com uma versão eléctrica: o R8 e-tron.

O motor atmosférico com cáracter seco do R8 está montado em posição central e tem injecção directa e indirecta, o que permite o aumento de potência e a diminuição do consumo. Na versão de 540 cavalos, o R8 V10 acelera de 0-100 km/h em apenas 3,5 segundos e atinge uma velocidade máxima de 323 km/h. Já o mais potente R8 V10 Plus chega dos 0 aos 100 km/h em 3,2 segundos e a velocidade máxima é de 330 km/h.

Ambas as versões do R8 estão equipadas com o sistema Start/Stop e a nova caixa de dupla embraiagem S tronic de 7 velocidades está posicionada atrás do motor e possui a função "Launch control" (para obter a máxima aceleração possível desde o arranque). O sistema de tração integral ‘quattro' apresenta alterações em relação ao da geração anterior. 

O condutor do R8 tem três modos de condução: comfort, auto e dynamic, através do Audi drive select. Cada um deles tem uma configuração específica que determina a velocidade de resposta do motor à pressão sobre o pedal do acelerador, à direcção, à transmissão e à tração assim como ao funcionamento da suspensão caso o veículo inclua o sistema Magnetic Ride. Existe ainda um quarto modo denominado «individual» que permite uma fusão personalizada das diferentes regulações.

O novo Audi R8 apresenta um comprimento de 4,42 metros, uma largura de 1,94 metros e uma altura de 1,24 metros, sendo mais leve que o seu antecessor. Esta reduzçãod e peso só é possível devido à utilização de materiais leves na sua construção, sendo o alumínio e o plástico reforçado com fibra de carbono os principais componentes. A redução no peso total chega aos 50 kg.

No habitáculo, em frente ao condutor, está o Audi virtual ‘cockpit' com um ecrã digital de 12,3 polegadas.

Em 2014, o grupo Audi entregou aos seus clientes cerca de 1.741.100 automóveis da marca.


National Geographic financia projeto arqueológico liderado pela Universidade do Algarve

Um grupo de investigadores da Universidade do Algarve (UAlg) está, durante o mês de maio, a realizar prospeção arqueológica a sul de Moçambique, no âmbito de um projeto financiado pela National Geographic Society, através do programa Wyatt. 


Liderada por Nuno Bicho, docente da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UAlg, a equipa do Interdisciplinary Center for Archaeology and Evolution of Human Behaviour (ICArEHB) procura localizar novos sítios arqueológicos da Idade da Pedra no distrito de Massingir, província de Gaza. 

Durante a prospeção, os arqueólogos pretendem encontrar vestígios relacionados com o aparecimento dos primeiros homens modernos na região. 

Em anos anteriores, a mesma equipa de arqueólogos já realizou trabalho de campo em outras regiões de Moçambique, nomeadamente na área do Lago Niassa, onde identificaram cerca de uma centena de novos sítios arqueológicos. 

Para além dos investigadores da Universidade do Algarve, a equipa conta ainda com investigadores e alunos da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique), da University of Louisville (Estados Unidos), da University of North Carolina (Estados Unidos) e do Max Planck Institute (Alemanha). 

O projeto «Middle Stone Age survey in the Limpopo and Elephant river valleys» tem o apoio da Wenner-Gren Foundation (EUA) e da Fundação para a Ciência e Tecnologia.



sexta-feira, 22 de maio de 2015

Banco Alimentar contra a Fome do Algarve promove nova campanha de angariação de alimentos

O Banco Alimentar contra a Fome do Algarve vai proceder a mais uma campanha direta de angariação de alimentos, marcado para o fim de semana de 30 e 31 de maio. 

Esta iniciativa será complementada pela campanha vale, de 30 de maio a 7 de junho, e pela campanha online (http://www.alimenteestaideia.net), de 29 de maio a 7 de junho. 

Clique na imagem para saber mais sobre esta campanha

O grande objetivo desta nova campanha é a recolha de 125 toneladas de alimentos, através da colaboração de mais de 2000 voluntários distribuídos por 140 pontos de recolha e dois pontos de triagem dos alimentos recolhidos para futura distribuição. 

Este ano, as campanhas diretas nos espaços comerciais decorrem sob o lema «Dar 2 vezes», que resulta do aprofundar da responsabilidade social e ecológica do Banco Alimentar, que optou por substituir desde já o tradicional saco de plástico por um saco de papel, que está de acordo com as normativas europeias que entrarão em vigor no próximo ano. 

Assim, ao ajudar nesta campanha, qualquer cidadão contribuirá ainda mais, porque para além da sua ajuda direta, o saco devolvido será reciclado através da campanha «Papel por Alimentos», permitindo conseguir ainda mais bens alimentares não perecíveis. 

Ao longo de quase oito anos de atividade, desde maio de 2007, o BA Algarve distribuiu 5.633 toneladas de alimentos, o equivalente a 11,27 milhões de refeições, traduzindo-se num apoio efetivo de 6,1 milhões de euros. 

No ano de 2014, o universo de instituições apoiadas subiu de 70 para 110 (cerca de 95% das instituições com apoio alimentar), abrangendo todos os concelhos do Algarve para um total de aproximadamente 23.000 pessoas apoiadas (8 mil famílias).


Fonte: http://www.regiao-sul.pt/

Exploração de gás na costa algarvia incendeia debate público

As perfurações, a oito quilómetros da costa, podem começar em Outubro. A Plataforma Algarve Livre de Petróleo põe em causa os estudos de impacto ambiental e exige “transparência” nos contratos de exploração


Numa altura em que se intensificam as políticas de incentivos às energias renováveis, o Algarve avança em contracorrente para a exploração do petróleo e gás natural. A Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) duvida que o país e a região tenham alguma coisa a ganhar com este tipo de indústria. “Os riscos são grandes e os benefícios são reduzidos ou nulos” foi a conclusão saída de um debate realizado em Faro. A falta de informação e de “transparência” nos contratos celebrados entre o Governo e um consócio liderado pelo grupo espanhol Repsol, estão a agitar a opinião pública regional. 

O início da exploração do petróleo no mar algarvio está previsto para Outubro, mas há muitas reservas e dúvidas quanto às consequências que esta actividade possa vir a ter no sector turístico. “Não acredito nos estudos de impacto ambiental, encomendados pelas empresas que fazem os furos”, disse Fernando Pessoa, dirigente da Liga para a Protecção da Natureza, na quinta-feira à noite num jantar/debate, promovido pela “Tertúlia Farense”. A assistência, constituída por mais de 60 pessoas, corroborou esta tese, mas também houve quem afirmasse que se está a fazer “propaganda” negativa, sem fundamento. 

O antigo director-geral do Terminal de Gás Natural Liquefeito do porto de Silves, Carlos Azevedo, disse que a “forma diabólica” como o assunto está a ser tratado não o surpreende. No passado, disse, ouviu idênticas críticas em relação ao “projecto do gás natural e hoje já ninguém se lembra disso”. Por falar em riscos, denunciou, “ninguém fala nas dezenas, centenas de petroleiros que passam pela costa do Algarve e qualquer um tem um risco muito superior a este pequeno projecto que está a ser apresentado”. A exploração que está prevista “não é sobre petróleo, mas sobre gás natural, que tem características muito diferentes”, desdramatizou. Numa coisa disse estar de acordo com os dirigentes da PALP – plataforma que reúne 11 entidades, entre as quais as associações ambientalistas Quercus, LPN e Almargem: “Nós, enquanto grupo de intervenção, no que devemos apostar é em saber quais são as características do contrato [de exploração], porque não sabemos rigorosamente nada”. 

O sociólogo João Martins, professor da Universidade do Algarve (dirigente da PALP) reclamou o direito à informação e à participação dos cidadãos. “O processo de decisão tem sido tratado nos bastidores da política, de forma oculta”, denunciou. De resto, acrescentou, “não deixa de ser espantoso que das 16 câmaras municipais, só uma, a câmara de Silves [CDU], tenha respondido a um pedido de reunião para discutir o assunto”. O que pretende, afirmou, é que o assunto seja retirado do “secretismo dos bastidores da economia da política”. Nesse sentido, a plataforma promove o seu primeiro encontro regional no próximo dia 30. Por outro lado, o vereador da câmara de Faro, Paulo Neves (PS), observou: “A Comunidade Intermunicipal do Algarve- Amal não se pode demitir desta discussão”. Em relação aos eventuais benefícios, previstos nas contrapartidas do contrato de exploração, advertiu, “não ficarão na região nem no país”. Segundo este antigo deputado, só haveria direito a pagamentos “se houvesse petróleo e, pelos vistos, o que vai ser explorado é gás”. Por sua vez, Luciano Abelheira, professor do ensino primário, perguntou: “O que será que vai acontecer à boa sardinha do Algarve, com a poluição das águas?” Em jeito de conclusão, atirou: “O nosso ouro negro é o turismo, não é o petróleo”. Já o médico Mário Lázaro entende que este projecto destina-se a “satisfazer o ego de Portugal”, insuflado pela ideia de que a exploração de gás ou petróleo, a oito quilómetros da costa, faz de um país, em dificuldades, “um potentado” na Europa.

Praias do nosso Algarve - Praia Fluvial do Pego Fundo

Inserida em plena paisagem agrícola rural do Nordeste Algarvio, esta praia fluvial aproveita um bonito pego da Ribeira de Cadavais, afluente do Rio Guadiana. Foram trazidas para aqui areias litorais, claras, invulgares nestas paragens fluviais. 


A área envolvente encontra-se ajardinada, sobressaindo os choupos, os loendros, as alfazemas e uns fantásticos canteiros com roseiras. As margens do pego estão revestidas por canavial e, aqui e ali, por árvores de fruto. Ao longo da época seca e com a evaporação, o plano de água vai-se tornando exíguo, no entanto a qualidade da água permanece normalmente aceitável durante a época balnear. 


O local é muito tranquilo e bucólico, com o chilrear da passarada e o tilintar dos chocalhos dos rebanhos como sons de fundo.

Acesso: Viário alcatroado a partir da vila de Alcoutim, atravessando a ponte da Ribeira de Cadavais em direcção à sua margem esquerda durante cerca de 500m. Estacionamento ordenado, com equipamento de apoio (bar, WC e duches) e vigilância durante a época balnear. Praia Acessível. Orientação: sul / sudoeste.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Autódromo Internacional do Algarve recebe a maior prova de motociclismo em Portugal

Faltam apenas 19 dias para o Autódromo Internacional do Algarve (AIA) receber a maior corrida de motociclismo em Portugal, o FIM Superbike World Championship.


Pelo oitavo ano consecutivo, e depois de, em 2014, ter sido a prova mais vista de todo o campeonato, o Circuito de Portimão promete este ano um evento único, tendo como protagonistas os melhores pilotos do mundo.

Cinco categorias entram em pista de 5 a 7 de Junho, a classe rainha, a Superbike, acompanhada do Mundial de Supersport, Superstock 1000 e 600 e o Europen Junior Cup.

O AIA será a sétima ronda, num total de 13, e o piloto da Kawasaki Jonathan Rea chega a Portimão a liderar a tabela com 240 pontos, seguindo-se Haslam, na sua Aprilia, com 153.


Na categoria Supersport, destaca-se mais uma vez Sofuoglu, com 105 pontos, também na sua Kawasaki, mantendo-se a 37 pontos de distância do americano Jacobsen, segundo posicionado.

Nas Superstock 1000 e Superstock 600, apenas decorreram ainda três rondas, com Savadori a liderar nas 1000, com 70 pontos e Razgatlioglu nas Superstock 600, com 57 pontos.

Após três provas, Orellana está na frente da tabela, do European Junior Cup, com 66 pontos, encontrando-se em luta pelo título com Pusceddu que está com apenas 9 pontos de diferença.

Para este ano, o Autódromo Internacional do Algarve promete muitas atividades e animações paralelas às corridas. O AIA irá promover até ao fim-de-semana da grande prova diversas atividades e ações de rua, por todo o Algarve.

Com o objetivo de levar as corridas ao público em geral, o circuito criará o ambiente perfeito para um evento memorável. Entre muitas surpresas programadas, será dada a oportunidade de contactar diretamente com os pilotos, de assistir a acrobacias de moto e será marcada presença em algumas escolas em Portimão.

Os bilhetes estão já disponíveis a partir de 7€.


Ordem dos Economistas defende melhor aproveitamento do turismo no Algarve

Um melhor aproveitamento do setor turístico, uma exploração dos recursos naturais mais eficaz e uma administração com mais poder de decisão são linhas orientadoras que a Ordem dos Economistas apresentou ontem para a economia do Algarve. 


Estas propostas estão incluídas no estudo “Linhas Orientadoras de Um Modelo Económico Regional”, que foi apresentado na delegação regional do Algarve da Ordem dos Economistas, em Faro, e faz uma análise sobre as potencialidades e os condicionantes que a economia algarvia tem. 

“O elevado e persistente desemprego” e “a fragilidade do tecido empresarial”, muito dependentes do turismo e das atividades relacionadas, são os principais condicionantes apontados no estudo, “elaborado por sete pessoas que viveram e trabalharam em lugares de chefia” na região, disse à agência Lusa o presidente da delegação regional da Ordem, Pedro Pimpão. 

O responsável pela recém-criada delegação regional do Algarve da Ordem dos Economistas explicou que a ideia de realizar o documento surgiu por se ter constatado que “a região não tem uma visão estratégica da sua economia” e por a “Ordem ter subjacente uma função social” e “considerar importante dar o seu contributo”. 

“Achámos por bem criar um documento com propostas de orientação estratégica para a economia do Algarve, que também estivesse disponível antes das eleições legislativas para os partidos também poderem debatê-lo”, afirmou Pedro Pimpão. 

A mesma fonte frisou que o estudo tem por base a informação que estava disponível em estudos ou análises estatísticas realizadas por instituições como a Universidade do Algarve, o Turismo do Algarve, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve ou associações empresariais e é “um ponto de partida” para criar uma estratégia global para a economia da região. 

O estudo refere como pontos menos positivos a dependência que a região tem do turismo, mas aponta também potencialidades que este setor tem e podem ser exploradas, como um maior aproveitamento e certificação dos produtos regionais, campanhas de promoção em mercados emissores, a aposta no turismo de cruzeiros, no turismo náutico ou no turismo de congressos. 

A exploração de recursos endógenos, sobretudo relacionados com a economia do mar, e a incorporação de tecnologia são dois vetores de outra das linhas estratégicas apontadas no estudo e que pode ser concretizada através da criação de condições para a agroindústria, do incentivo da logística para os portos e ou no estudo dos impactos da exploração de recursos no subsolo marítimo. 

O documento defende ainda como linha estratégica a criação de uma administração “amiga” do investimento, com os centros de decisão na região, através da “localização das sedes das empresas e grupos empresariais” mediante “fiscalidade e incentivos” e do “aumento das competências das entidades regionais (por desconcentração e descentralização) ”. 

As principais dificuldades residem no “desemprego” e na “fragilidade de um tecido empresarial” pouco diversificado e marcado por empresas em nome individual em setores como a Construção, o Comércio por Grosso e a Retalho, o Alojamento e Restauração e as Atividades Imobiliárias, Alugueres e Serviços Prestados às Empresas, também relacionados com o turismo.


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Albufeira, Portimão, Sagres, Lagos e Olhão no Top10 da maior comunidade de viagens do Mundo

O TripAdvisor, a maior comunidade online de viagens do mundo, com mais de 300 milhões de visitantes por mês e mais de 200 milhões de avaliações e opiniões, publicou a lista dos 10 melhores destinos em Portugal, na qual metade é garantida por destinos do Algarve.


Assim, o ranking do TripAdvisor, que é liderado por Lisboa, inclui Albufeira (em 4º lugar), Portimão (6º), Sagres (7º), Lagos (8º) e Olhão (9º).

O presidente da Câmara de Olhão já reagiu, dizendo que o seu 9º lugar, alcançado entre centenas de destinos muito bem cotados a nível nacional, “é a prova de que Olhão está a mudar para melhor e atrai cada vez mais turistas e deixa marcas positivas a quem nos visita”.

António Miguel Pina disse-se ainda satisfeito por esta ser uma classificação feita com base na opinião dos frequentadores do TripAdvisor.

Olhão surge lado a lado com outros destinos turísticos nacionais e regionais de especial relevo, mostrando que a escolha de quem visita o concelho é “fruto do contributo que o Município e outras forças vivas do concelho têm dado para dotar a cidade de cada vez mais e melhores ofertas a nível turístico, cultural ou gastronómico, para além da sua enorme beleza natural, à vista de todos e que deve continuar a merecer o maior cuidado e preservação”, destaca ainda o autarca olhanense.

No caso de Albufeira, o destino algarvio mais bem classificado, os utilizadores do TripAdvisor destacam as suas praias, em especial a Praia da Falésia, o Zoomarine e o Parque Aventura. O site refere ainda as “casas brancas reluzentes com um toque mouro, surpreendentes penhascos de várias matizes e vestígios de fortes antigos”.


Em Portimão, o destaque vai para a Praia da Rocha, os passeios a pé no passadiço de Alvor, o Museu de Portimão, os passeios pela costa “no navio pirata de dois mastros Santa Bernarda” que é “um dos passeios favoritos das famílias”, e ainda a adrenalina do Autódromo Internacional do Algarve.

Em Sagres, os turistas sublinham a “linda e assombrada Fortaleza de Sagres”, a Praia do Beliche e o Cabo de São Vicente, com o seu belíssimo por de sol.

Lagos é destacada pelas suas muralhas e património, mas também pela Ponta da Piedade, Praia Dona Ana e Meia Praia.

Finalmente, sobre Olhão, o TripAdvisor salienta os seus “vários cafés à beira mar e bairros históricos”, destacando-se ainda os “produtos frescos locais nos dois mercados” ou os passeios de barco “para explorar a área de proteção ambiental do Parque Natural da Ria Formosa”.


Ranking “Os 10 melhores destinos – Portugal”:

1º Lisboa
2º Funchal
3º Porto
4º Albufeira
5º Cascais
6º Portimão
7º Sagres
8º Lagos
9º Olhão
10º Sintra


Fonte: http://www.sulinformacao.pt/

Ikea do Algarve abre no ano que vem

O grupo sueco Ikea anunciou hoje que recebeu esta semana as licenças comerciais relativas ao projeto de uma unidade em Loulé, num investimento global de 200 milhões de euros, prevendo inaugurar a loja no próximo ano.


Em comunicado, a empresa adianta que, "no seguimento do seu plano de expansão para Portugal", recebeu "esta semana as licenças comerciais relativas ao projeto Ikea em Loulé, e que contempla a construção de loja, centro comercial e 'outlet'".

O grupo recorda que este projeto prevê a criação de 3.000 postos de trabalho diretos e indiretos, num valor total de investimento de 200 milhões de euros.

A inauguração da loja Ikea Loulé está prevista para 2016 e o restante complexo, composto pelo centro comercial e pelo 'outlet', em 2017.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Ligação aérea entre Bragança e Portimão arranca no verão

Passados mais de dois anos da suspensão dos voos Bragança-Vila Real-Lisboa, uma nova rota vai avançar já este verão. O Conselho de Ministros aprovou uma despesa máxima de 7,8 milhões de euros para a concessão por três anos, mas a opção não agrada a todos. Ao que tudo indica haverá três empresas interessadas, que têm até 27 de maio para apresentar propostas.


A anterior rota funcionou desde 1997 até novembro de 2012. A partir daí, o Governo português procedeu à liberalização do transporte aéreo entre Lisboa e o nordeste transmontano, sem a atribuição de qualquer contrapartida por parte do Estado às transportadoras aéreas.

Além disso, “a oferta de serviços foi descontinuada devido à falta de interesse das transportadoras aéreas em explorar os serviços em causa, sem qualquer compensação financeira prevista pelo Estado”, pode ler-se na resolução do Conselho de Ministros publicada em dezembro de 2014.


Despesa de 7,8 milhões

O Governo lançou agora o concurso público para a adjudicação, em regime de concessão, da ligação aérea Bragança-Vila Real-Viseu-Cascais-Portimão, por um período de três anos. Os interessados na “Concessão dos Serviços Aéreos Regulares" têm até dia 27 de maio para apresentar propostas.

A decisão da nova rota não agrada a todos. É o caso do presidente da Câmara Municipal de Bragança. Hernâni Dias disse ao online da RTP que “não é obviamente a solução que gostaria”. 

"Na rota anterior havia uma escala em Vila Real e depois aterrava-se em Lisboa, na Portela, uma zona próxima do centro da capital (…) Tires não fica dentro de Lisboa, o que provavelmente coloca diversos problemas a quem tiver que fazer esse percurso. Será uma ligação mais morosa", salientou o autarca.

Como aspeto positivo, Hernâni Dias destaca o acesso ao sul do país: "Permitirá em determinadas épocas do ano ser um veículo de transporte de turistas". 

O Conselho de Ministros já tinha aprovado em dezembro uma despesa máxima de 7,8 milhões de euros para a concessão da rota (em 2015, um encargo de 650 mil euros; em 2016 e 2017, 2,6 milhões de euros e, para 2018, o montante máximo consignado no diploma é de 1,95 milhões de euros). 


Três empresas interessadas

As quatro parcelas perfazem os 7,8 milhões de euros de despesa máxima prevista, cuja concessão terá como primeiro critério de adjudicação a "proposta economicamente mais vantajosa". 

O online da RTP apurou que já haverá três empresas interessadas na concessão, tal como referiu o presidente da Câmara Municipal de Bragança, Hernâni Dias. 

Solicitámos uma entrevista com o Ministério da Economia e a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), mas as respostas apenas foram dadas por email.

“O processo decorre neste momento pelo que é ainda muito cedo para adiantar qualquer informação”, disse o Ministério da Economia, relativamente à existência de possíveis interessados. "Pela mesma razão apontada na resposta anterior não faz sentido que um responsável pelo processo se pronuncie publicamente numa altura em que decorre o concurso".


Prioridade na escolha dos aeródromos

Segundo a ANAC, continua a verificar-se que “subsistem os constrangimentos ao nível da acessibilidade de transportes para as populações residentes no Nordeste Transmontano quer à capital, quer ao sul do país. Nestas circunstâncias, verifica-se que o transporte aéreo continua a ser essencial para o desenvolvimento socioeconómico daquela região”. 

A escolha dos aeródromos “teve em consideração a proximidade aos principais centros empresariais, pólos turísticos e campus universitários, bem como os custos operacionais das infraestruturas (taxas, serviços de assistência em escala, tempos de rotação, outros)”, respondeu a ANAC. 

A duração da viagem irá depender do tipo de equipamento e dos horários a serem propostos pela concessionária, podendo ter uma duração de aproximadamente três horas (de Bragança a Portimão).


Voos diários de segunda a sábado

Ainda assim - e de acordo com as obrigações de serviço público -, no verão deverá haver duas frequências diárias de ida e volta na rota, a operar de segunda a sábado. No Inverno deverá passar para uma frequência diária de ida e volta, também a operar de segunda a sábado, pode ler-se no caderno de encargos, a que o online da RTP teve acesso. 

Os preços das viagens serão propostos pela concessionária, de acordo com as regras tarifárias impostas pelo Governo português e, posteriormente, sujeitos a aprovação da ANAC. Mas a ideia é manter os preços praticados na antiga rota, cerca de 120 euros, viagem de ida e volta, entre Bragança e Lisboa. 

Nos termos do concurso, a aeronave designada para a exploração dos serviços é tipo bimotor com capacidade para o transporte entre nove e 19 lugares de passageiros. 

De acordo com o gabinete de imprensa do Ministério da Economia, a ligação aérea em causa “pretende reforçar a coesão territorial e social, pondo ao serviço dos cidadãos um meio de transporte rápido e com preços acessíveis, que ligue o norte ao sul e o litoral ao interior”. 

sábado, 17 de janeiro de 2015

Praias do nosso Algarve - Praia do Cabeço (Retur)

A praia insere-se numa área ainda de paisagem rural, em que árvores antiquíssimas, sobretudo oliveiras e sobreiros, vão dando progressivamente lugar aos pinhais dunares típicos do litoral. Os pinheiros mansos formam aqui, mais perto da praia, um bosque denso, fazendo-se acompanhar por medronheiros, enormes aroeiras, cistácias com flores brancas e rosa, espargos selvagens e plantas aromáticas como a perpétua-das-areias e o alecrim. 


A sombra e o verde profundo da vegetação confortam. Com atenção é possível observar os indolentes camaleões e aves como a curiosa poupa que faz lembrar uma borboleta gigante. Junto ao areal os pinhais dão lugar a campos dunares, cobertos pelo típico piorno-branco, pelo estorno e pelo felpudo cordeirinho-da-praia. A praia é extensa e tranquila, as águas seguras e mornas.


Notas: De modo a contribuir para a preservação do local, o cordão dunar deverá ser atravessado utilizando os passadiços existentes.

Acesso: Viário em terra batida a partir da EN 125, seguindo na direcção da Praia do Cabeço durante cerca de 2 km. Estacionamento amplo e não ordenado. Diversos equipamentos de apoio (restaurantes e WC) e vigilância durante a época balnear. Praia acessível. Orientação: sudeste.